sexta-feira, 17 de abril de 2015

Resenha: Bruxa da Noite - Nora Roberts - Editora Arqueiro

Resultado de imagem para capa A bruxa da noite

Bruxa da Noite
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Categoria: Romance, Ficção, Sobrenatural
ISBN: 978-85-8041-384-7
320 Páginas
1ª Edição – 2015


Sinopse

Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda.

Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera.

Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.

Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. Uma mistura de caubói, pirata e cavaleiro tribal, ele reúne três de suas maiores fantasias num único pacote.

Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.

Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.


Minhas Impressões

Primeiro livro da trilogia Primos O´Dwyer, A Bruxa da Noite nos introduz em uma estória de magia passada de geração para geração, de uma batalha do bem contra o mal, de amor verdadeiro, de família e de encontrar o seu lugar no mundo.




O livro nos apresenta aos seis personagens principais da trilogia, porém tem um foco maior em Iona e Boyle – eu adorei o casal! Ela meio perdida no mundo querendo encontrar o seu lugar, coração enorme, falante, corajosa, alegre, sincera, determinada. Ele um homem correto, temperamental, amigo, leal, duro, corajoso, e uma delícia – nas palavras de Branna, Boyle “é um homem de regras. Não engana, rouba ou mente. Não maltrata animais ou se aproveita dos mais fracos. Não procura briga, o que é uma regra dos últimos anos, mas tampouco foge de uma. Defende seus amigos e seu grupo no pub. Nunca toca em uma mulher que pertença a outro e não dá sua palavra a menos que pretenda cumpri-la.” (Pág. 120). Eu gostei  muito deles como um casal – nada de frescuras, de mimimi, ela sabia o que queria e ele, apesar de ficar confuso com os novos sentimentos, soube enfrentar isto. Não posso dizer que foi um casal com grandes emoções, mas foi um casal verdadeiro, um casal parceiro, amigo, um casal que é tem tudo o que eu almejo – companheirismo, parceria, lealdade, sexo sensacional, amor, determinação, alegria e simplicidade.

“- Você é muito forte.
- Não vou machucá-la.
Iona riu de novo, dessa vez sem nervosismo.
- Não vou prometer o mesmo.
Ágil e rápida, ela pôs o braço para trás e abriu o sutiã.
- Facilitei um pouco para você.
- Estou pronto para a parte difícil. – Ele afastou o sutiã para o lado. – Agora fique calada, para que eu possa me concentrar.
Um momento depois Iona não conseguiu pensar, quanto menos falar.” – Pág. 183



Durante a leitura acompanhamos o amadurecimento e aceitação dos personagens (de todos eles – Iona, Boyle, Branna, Fin, Connor e Meara) sobre o amor, as relações antigas, o que são, os poderes que têm, sobre, principalmente, enfrentarem o que estar por vir juntos (a maldição de Cabhan), e sobre outras coisas. – É muito bom ver a amizade de todos eles e saber que uns podem contar irrestritamente com os outros, sempre.


“- Vou viajar com você. – Meara pôs uma das mãos sobre a de Branna. – Partiremos corações mundo afora. Você pode se juntar a nós – disse para Iona. – Veremos todas as maravilhas e desfrutaremos de prazeres onde os encontrarmos. Depois pode voltar, escolher com quem quer manter um relacionamento e ter bebês. Eu construirei minha casa e meu celeiro e Branna viverá a vida dela exatamente como quiser, livre da maldição.
- Combinado. – Branna ergueu a xícara de chá em um brinde.
- Só temos que vencer o demônio antigo e ganhar muito dinheiro. O resto são detalhes.
- Vocês duas poderiam ter todo esse sexo exótico agora – protestou Iona. – Não é difícil terem os homens que quiserem quando parecem deusas celtas.
- Vamos ficar com ela – disse Meara para Branna. – Ela é ótima para meu ego.” – Pág. 145/146


A Bruxa da Noite é uma leitura muito muito agradável, dinâmica, e fácil – engraçada na medida certa, o que deixa o desenrolar da estória ainda melhor, e linear quando preciso. Além de trazer descrições reais dos locais citados, o que faz o leitor se sentir mais familiar com o ambiente e viva a estória. - Lógico que eu me apaixonei pelo ambiente em que se passa a estória e os elementos que a completam, e este livro em especial trouxe algo que eu amo e faz parte da minha vida, que é a vida com os cavalos; eu fiquei em êxtase com a forma como a Nora inseriu o cavalo na estória e deu importância à ele.

Como sempre a Editora Arqueiro presenteou os seus leitores com um livro ótimo, de uma autora excelente, e com uma diagramação maravilhosa – a capa é especialmente linda (eu estou encantada), a tradução ótima, a correção muito boa (só vi uns 2 erros bobos), e a qualidade da edição está sensacional.

Enfim... fiquei apaixonada pelo livro A Bruxa da Noite – simples assim – eu ia amar se o livro virasse filme ou série (confesso que apesar de o livro não ser o melhor que eu já li, acho que ele daria um bom enredo pra um filme ou seriado)!!! E estou suuuper ansiosa pela continuação!!!! A leitura vale muito a pena!


“- Vocês levarão a luz que há em mim. Sempre estarei com vocês. – Com as mãos agora limpas e brancas, Sorcha enxugou as lágrimas do rosto da filha. – Você, minha luz brilhante, minha esperança. Você, meu filho corajoso. – Ela beijous os dedos de Eamon. - Meu querido. E você, minha resoluta pesquisadora. – Ela pôs as mãos em concha no rosto de Brannaugh. – Minha força. Leve-me com você. E agora, faremos este feitiço juntos. Fiquem comigo. Digam o que eu disser, façam o que eu fizer.
Ela estendeu as mãos.
- Com sangue e lágrimas derramamos nossos medos. – Ela balançou uma das mãos sobre o caldeirão e o líquido ali dentro começou a borbulhar. – Quatro pitadas de sal para fechar e trancar a porta. Evas daninhas para prender, frutos silvestres para cegar. Meus filhos ele não verá, viverão seguros e livres. Pétalas bonitas tingidas com ódio, perfume doce para seduzir. Tudo fervido no fogo e na fumaça, e que nesta poção Cabhan se afogue quando eu o chamar e ele vier até mim. Que assim seja." – Pág. 35/36

1 comentários:

Lola Sciwinzki disse...

De tanto ouvir tu falar desse livro, eu tinha que pedir né?
AMEI. Romance sem mocinhas bobinhas.
Bjks. :*

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas