terça-feira, 11 de novembro de 2014

Resenha: Esconda-se - Lisa Gardner - Editora Novo Conceito



Esconda-se
Série: D. D. Warren - Vol. 02
Autora: Lisa Gardner
Editora: Novo Conceito
Categoria: Policial / Drama
ISBN: 978-85-8163-310-7
399 Páginas
1º Edição – 2013


Sinopse


Uma mulher que foi obrigada a fugir — desde criança— de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios. Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram. Um pingente que foi parar em mãos erradas — e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos. Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente. Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns!


Minhas Impressões


O que você faria se, de repente não pudesse mais viver sua vida como vivia? Ás vezes muitas pessoas se cansam do que fazem, querem partir pra outra, fazer outra coisa. Querem estudar algo diferente, trabalhar em outro lugar, enfim mudar de ares. 

Provavelmente já vimos histórias como essas muitas e muitas vezes, até mesmo pessoas conhecidas e próximas. Mas nada se compara a mudar de vida, mudar radicalmente de vida. Não é somente trocar de emprego, de casa, de escola ou mesmo uma relação, mas mudar de vida mesmo, deixar tudo que você tem pra trás, casa, roupas, objetos pessoais, móveis, lembranças, e o que é pior, mudar até mesmo de nome. De tudo que possuímos na vida parece que a única coisa que realmente nos identifica como pessoas, seres humanos, é nosso nome. Podemos até ter um apelido, derivado do nosso nome ou completamente diferente, mas temos nosso nome. O que aconteceria se tivéssemos que escolher outro nome pra ser identificado, ou até mesmo ter que aceitar um nome escolhido por alguém? Não poder escolher nem o próprio novo nome. É uma situação completamente impensável. 

Essa mudança toda é muito diferente e mais bizarra do que a situação hipotética de "o que você levaria pra uma ilha deserta?" E tentar imaginar o que você levaria se tivesse que levar suas coisas em uma pequena mala. Temos tantas coisas pessoais que é difícil escolher o que jogar fora, ou o que deixar pra trás. Em uma pequena mala aparentemente cabe apenas o que precisamos pra sobreviver, e não o que necessitamos para viver. Pois parece que existem mais situações adversas do que podemos imaginar. Situações em que uma pessoa é, de uma hora pra outra, desprovida de tudo que possui, precisa se desfazer ou é obrigada a se desfazer dos pertences, havendo até mesmo situações em que fica apenas com a roupa do corpo. Podemos citar tragédias como desabamentos de residências em decorrência de chuvas ou terremotos, grandes enchentes que chegam a cobrir toda a casa, ajuste de contas, principalmente por parte de traficantes, que depois de jurarem de morte alguém, o obrigam, e até mesmo sua família, a fugir. E talvez por fim, casos em que uma pessoa é testemunha de um crime e precisa de proteção policial para poder viver. São todas situações dramáticas que parecem inimagináveis a qualquer pessoa. 

A personagem do livro, Anabelle Granger ou Sally, ou Cindy, ou Tanya, vive esse drama desde pequena, sempre mudando de casa, de cidade, e de nome. Uma situação imposta principalmente pelo seu pai para protegê-la de um suposto maníaco. A história gira em torno da descoberta de uma caverna subterrânea próxima a um hospital psiquiátrico na cidade de Boston, com os corpos de 06 crianças, todas meninas, e que já estavam na caverna há uns 25 anos. A descoberta produz outra reviravolta na vida de Anabelle. Por causa de um pingente encontrado com uma das meninas, ela sabe que o responsável pelas mortes é o mesmo que transformou sua vida no inferno que sempre foi. E ele está a solta. E talvez atrás dela. 

Anabelle é uma garota bonita, forte, que sabe muito bem se defender de tudo e de todos, pois passou quase a vida inteira aprendendo a se defender. Apesar disso é uma solitária, estando sempre mudando de casa, não conseguia nunca ter uma relação mais duradoura com quem quer que fosse. Vizinhos, amigos, namorados, todos simplesmente estavam de passagem por sua vida e não sabiam nem mesmo seu verdadeiro nome. Acabar de vez com as pretensões desse perseguidor será a única forma de Anabelle ter paz para continuar vivendo.

A sargento D. D. Warren e seu parceiro detetive Bobby Dodge são os investigadores que tentarão desvendar o passado por trás dessas mortes. A sargento Warren trabalha no Departamento de Policia de Boston, Bobby trabalha como detetive para a policia estadual. Warren e seu parceiro já foram resenhados aqui no livro "Sangue na Neve", uma ótima historia policial que se passa na mesma cidade, Boston. Como nos dois livros anteriores, o ritmo de leitura é ágil, bem estruturado e com os tradicionais suspenses. A autora consegue manter uma leitura dinâmica durante todo o livro, com muitos personagens e situações tensas. Como já dito anteriormente, é recomendado ler os livros anteriores da autora. Vale a pena. A descoberta dos corpos na caverna nos faz lembrar de inúmeros casos parecidos, tanto em filmes como na vida real. O psicopata por trás desse tipo de crime geralmente, ou sempre, tem uma obsessão por um tipo de pessoa, ou por uma pessoa específica, e isso acaba sendo, ironicamente, uma pista para a polícia tentar descobrir quem é esse assassino. A autora mais uma vez cria uma história envolvente onde temos de tentar perceber quem é quem, qual a verdadeira índole das pessoas, e que talvez no fundo, não podemos confiar em ninguém, pois não conseguimos perceber nem mesmo se aqueles que nos amam estão realmente tentando nos proteger ou se estão sendo apenas paranoicos. 

2 comentários:

Lia Christo disse...

Oi Paloma, mais uma super resenha produzida por você.
Gosto do jeito que você nos apresenta a história e consegui imaginar perfeitamente, o que é passar por todas estas dificuldades que a personagem principal passa.
Espero que o desfecho do livro seja tão bom, quanto parece ser a história.
Eu tenho este livro aqui, mas ainda não li.
Depois da sua resenha, vou colocá-lo na lista de leitura.
Bjus
Lia Christo
www.docesletras.com.br

Paloma Casali disse...

Liaaa...ahhahaha a resenha está realmente muito boa, e consegue nos apresentar a estória de uma forma que dá vontade de ler, e por isso...fico até com inveja, pois foi a Gabi que escreveu (bem que eu queria ter escrito algo tão bom e bem construído, mas ainda to em fase de aprendizagem hahahahah)!

Parabéns, Gabiii...ficou ótima a resenha!!!!

beijossss

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas