segunda-feira, 17 de julho de 2017

Resenha: Reencontrando o Passado - Bibi Santos


Reencontrando o Passado
Autora: Bibi Santos
Publicação Independente
Categoria: Romance
ASIN: B071G4GDSP
291 Páginas
1ª Edição - 2017

*Você encontra o eBook na Amazon.


Sinopse

Emely sempre foi gordinha. Desde a infância sofria com seu peso e com as brincadeiras de mau gosto dos amigos e até familiares. Na noite de sua formatura sofreu um enorme golpe em seu ego que marcou toda sua vida e da sua família.

Rafael sempre foi seu grande amor. Ele tinha planos para noite de formatura da Emely, mas não tinha nada de romântico planejado, e sim, muita humilhação.

Emely consegue colocar sua vida para frente, mas jamais esqueceu daquela noite fatídica.
Oito anos depois, Rafael, um renomado médico, resolve voltar para sua cidade e, assim, acende as dores do passado.

O que será que ele deseja? Por que voltou?

Emely é uma mocinha forte, engraçada, dona de uma floricultura, mas será que estará pronta para reencontrar o passado?

Uma história de amor e perdão, regada a muita paixão, que vai mexer com você em cada página.




Hoje vou falar sobre um livro ESPECIAL.
Reencontrando o passado foi a grande surpresa literária para mim deste ano - quem me conhece sabe que eu não leio eBook e não sou fã de eróticos (falta de costume e de gosto mesmo), então quando minha amiga e ex-resenhista do IN, Bibi Santos, publicou esse livro eu nem me pronunciei para ler, por ser eBook e por ACHAR que era hot (quem conhece Bibi sabe que ela respira hots), doce engano.

Li em 1 (isso mesmo: UM) dia!



O livro me surpreendeu a cada página que eu passava no meu tablet. Com personagens muito bem construídos e uma história que tem como base Emely e Rafael, ao mesmo tempo traz diversas tramas que se cruzam, o livro é um guia de lições. É narrado em primeira pessoa, basicamente por Emely, mas tem passagens narradas por outros personagens; a escrita é leve, agradável e cativante.


"- Eu sei que estavam falando de mim, eu ouvi da porta. O refrigerante eu comprei com meu dinheiro. Feio não é ser gorda, mas sim ser velha e fofoqueira." - P. 24



Emely sempre foi gordinha e sempre sofreu com brincadeiras de mau gosto (bullying), comentários ofensivos (que vinham de todas as partes, principalmente de quem deveria vir só amor - sua mãe) e fofocas, mas nem diante de tudo isso ela perdeu sua essência - um coração bondoso, simpatia, uma delicadeza genuína e pureza. Tudo que ela passou, apesar de ter ferido, a tornou mais forte. Sobretudo, ela tem uma personalidade maravilhosa, engraçada, leve, corajosa.


"- Aceita elefante aqui na aula?
Quase tive um treco do coração. A antiga Emely teria corrido e chorado a noite toda, mas essa Emely não deixaria barato de forma nenhuma. Com um soco certeiro de esquerda atingi seu nariz. Minha mão doeu pra caramba, mas não dei o gostinho de demonstrar.
- Se aceita antas, por que não aceitaria baleia? Idiota." - P. 28


[Nessa hora eu super vibrei - aliás eu parecia uma louca lendo o livro - batia palmas, xingava, vibrava - parecia que estava assistindo um jogo.]


"-Murilo, vamos ser sinceros, você quer sexo e eu quero sexo, não entendo o problema. - Parecia um namorado ciumento que já estava me dando nos nervos." - P. 50


Ela é apaixonada desde sempre por Rafael, mas ele desde sempre a pirraçava e envergonhava; até que determinado dia ele atinge o ápice da maldade e faz Emely passar pela maior humilhação da vida dela e as consequências a perseguem durante anos. A sociedade a culpa pelo que ocorreu; ela precisou de terapia e muito apoio e amor do seu pai e da sua melhor amiga Duda para superar e seguir em frente; mas mesmo levando sua vida, ela nunca conseguiu entender o motivo de Rafael ter feito isso e perdoá-lo.


"... - Sempre há uma segunda chance, sempre terá vida lá fora, só precisamos nos livrar das dores do passado, é essa carga que trava nossa vida.", July - P. 155


Eis que 8 anos depois Rafael volta a morar na cidade e determinado a conquistar tanto o perdão, quanto o coração de Emely. Confesso que nesse momento pensei: quem bate sempre esquece, né? Mas com o decorrer da leitura percebi que a história ia muito além disso... Rafael tinha uma alma quebrada, passou por diversos problemas, perdeu coisas importantes e é a prova viva de que as pessoas mudam (sim, podem dizer o que quiserem, eu quero ele pra mim).


"Não quero uma alma doente e magoada, pois quando guardamos rancor quem adoece somos nós. Passei oito aos doente e só ontem à noite entendi a profundidade da dor que todos os envolvidos passaram." - P. 102


O livro nos apresenta personagens secundários, que de secundários não têm nada. Ricardo, Duda, July, Murilo, Kátia - cada um com sua própria história, segredos e importância. Sofrimento, superação, determinação, amizade, amor, felicidade, tristeza... tudo faz parte da história e torna o livro especial e uma leitura obrigatória.

Sempre que leio tento extrair ao máximo lições da minha leitura, mas com Reencontrando o passado eu nem tive esse trabalho. As lições brotavam sempre no momento certo, algo para pensarmos em como estamos levando as nossas vidas. Com certeza a história da Emely me mudou; assim como a história da July me ensinou a sempre ver o lado bom das coisas; a de Rafael me mostrou que sempre podemos mudar, evoluir; a de Duda: que temos que correr atrás dos nossos sonhos; a de Ricardo: que as vezes nos menosprezamos, e que somos melhores do que imaginamos; a de Murilo: que apesar de tudo parecer dar errado, tem algo especial reservado para nós e no momento certo saberemos; e com Kátia aprendi que não adianta fingirmos, a máscara sempre cai.


"... Ela me ensinou que sempre vai existir uma solução, que o amor supera tudo, que todo ser humano tem uma história. Precisamos de empatia para não julgar e amar nosso próximo.", July - P. 172


Conversando com minha amiga Lay, do Blog de Tudo um Pouquinho, ela me fez refletir que se para mim, que nunca passei uma situação de humilhação, preconceito ou vergonha desse nível o livro foi tocante, para quem já vivenciou algo do tipo passa por uma identificação instantânea com a história da Emely. Leiam a resenha dela, é emocionante!


 "- As pessoas gostam de julgar esquecendo que têm passado e sujeiras embaixo do tapete. É só sacudir que elas se calam e correm." - P. 80


Ahhh... sobre ser hot, o livro não tem nada de hot. As cenas mais quentes que têm são super bem escritas e instigantes. Cenas mais bem escritas do que muitas que já li de autoras renomadas.

A escrita de Bibi me lembrou um pouco a forma que a Mia Sheridan (autora da série Signos do Amor - QUE EU AMO) escreve - temas importantes, de forma que conquista o leitor, e com lições para a vida.

Bibi traz um tema importante para todo mundo - preconceito -, e mostra que as pessoas são melhores do que pensamos e que não devemos julgar ninguém por algum estereótipo. Somos muito mais do que aparência, cor, sexo, classe social, opção religiosa, tipo físico, opção sexual... temos que enxergar o outro com mais amor.

Não poderia deixar de parabenizar Bibi pelo livro, e dizer: Estou muito orgulhosa de você, meu 💩. Quero Emely, Rafa e os demais na minha estante. O Brasil é, literalmente, pequeno para Emely.


4 comentários:

Bibi Santos disse...

Meu Deus, estou aqui me debulhando em lágrimas, resenha linda, vc sabe como é importante para mim e saber que meu livro cativou você me deixa mais feliz ainda! Muito obrigada!

Vauline disse...

Paloma, amei a resenha!!!! Já quero uma pra mim!kkkkkk... Adorei a resenha! Muito rica, com análise... parabéns! E parabéns à super Bibi e sua Emely! Emely e Bellanne seriam uma dupla implacável!!!!kkkkk

Paloma Casali disse...

Que fofa você!!! Manda pra cá que terá a sua tb hahahahaha muito feliz que tenha gostado da resenha.
Beijoss

Lia Christo disse...

Oi Paloma
Eu nunca li nada da autora, mas gostei da capa e senti uma forte empatia pelo tema abordado e pela maneira como você se derramou em elogios na resenha. Vou colocar na lista e logo que der compro para conferir.
Bjus
www.docesletras.com.br

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas