segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Resenha: Arrabal e a Noiva do Capitão - Marisa Ferrari - Editora Novo Conceito




Arrabal e a Noiva do Capitão
Autora: Marisa Ferrari
Editora: Novo Conceito
Categoria: Ficção Brasileira, Drama
ISBN: 978-85-8163-383-1
368 Páginas
1º Edição – 2014


Sinopse


Giordano e Giuseppe são idênticos na aparência, mas suas almas não poderiam ser mais diferentes. O bravo Giordano é o capitão-chefe da Guarda Real. Giuseppe é um ator de coração puro e alegria contagiante que viaja com sua trupe para se apresentar nas praças e castelos da região. De caráter inflexível, Giordano tem como sua maior missão proteger o Rei. Por sua vez, o sonhador Giuseppe deseja escrever uma peça de teatro com diálogos, o que seria uma inovação para a época. Embora não sejam propriamente amigos, os dois irmãos vivem uma espécie de acordo de cavalheiros, respeitando o espaço um do outro e lidando com o delicado estado de saúde de sua mãe. Até que a formosa Luigia acaba com a paz da família Romanelli.

Arrabal e a Noiva do Capitão nos transporta para a incrível Nápoles do século 18, magistralmente reconstruída por Marisa Ferrari.

Uma história que resgata a magia do teatro e nos convida a compreender a beleza que existe nas contradições. Mas há coisas que não podem ficar escondidas para sempre.



Minhas impressões


Arrabal e a noiva do Capitão foi uma leitura que me surpreendeu, e confesso que gostei muito do livro, apesar de, em alguns momentos, ele não ter me empolgado, entretanto acho uma leitura válida, devido a lição que ele passa para o leitor, e, também, pela estória.

Quando eu falo que em alguns momentos o livro não me empolgou, uma parcela de culpa é minha, pois eu tirei conclusões precipitadas (o velho preconceito), e por causa do título, da capa e da sinopse (que, quem já leu alguma resenha minha, sabe que eu não gosto muito delas, por achar que revelam demais – o que, confesso, não ocorreu neste caso), eu fixei o pensamento de que teria muito romance e drama no livro. E, apesar de ter ambos, o livro não é literalmente sobre isto, mas sim sobre se conhecer, sobre ter coragem de sermos quem queremos ser, e sermos felizes nos aceitando como somos – por isto disse que o livro me surpreendeu.

A outra parcela de culpa foi por causa do livro - acho que em determinados momentos poderia ter tido mais ação, na minha humilde opinião um pouquinho de mais movimento teria deixado o livro na medida ideal.

Arrabal e a Noiva do Capitão conta a estória de dois irmãos gêmeos que apesar de não conseguirem conviver, um não pode existir sem o outro. Giuseppe e Giordano – homens lindos, com personalidades super diferentes, porém fortes.

Giuseppe é um poeta, o poeta Arrabal; é sonhador; vive livre; divertido; espontâneo; irradia alegria por onde passa; tem a capacidade de ajudar as pessoas, fazendo florescer nelas o que há de melhor em seus espíritos, qualidades e coragem que nem elas próprias imaginavam que tinham.





Giordano é o valente, o lutador, o herói, confiante e confiável, honrado, mas sério e pragmático – acaba sendo mais difícil de conhecer os sentimentos dele de imediato, mas com a leitura percebemos que ele tem um coração enorme, eu diria até que ele é altruísta, e esta é uma qualidade difícil de se manter.





Confesso que se fosse para escolher um, não saberia quem – iria querer um pot-pourri dos dois, e tenho certeza que essa mistura seria o homem ideal da maioria das mulheres (principalmente o meu ahahahhah).

A trama envolve algumas pessoas e as estórias por traz dessas pessoas - a mãe dos gêmeos lindos, a trupe de teatro (grande parte da estória se passa ao redor dela), o pai deles, Tereza (é uma segunda mãe para os gêmeos)... mas principalmente Luigia – em Arrabal e a Noiva do Capitão é como se tivessem vários personagens principais.





Luigia é o ponto-central da trama – é por causa dela que os irmãos se reencontram e se enfrentam; enfrentam seus medos e desejos; e realmente decidem sobre o futuro, sobre quem são, sobre a felicidade.


“- Mas eu amo os dois! – disse alto. – Eu admito! Essa é a verdade! Eu amo os dois! Não sei como é possível, mas é o que sinto! Amo vocês dois de maneiras diferentes, porém com a mesma intensidade! [Se fosse eu, também, amaria os dois]
Giordano fechou novamente a porta, sem se virar para ela.
- Admiro você, respeito-o, tenho-lhe confiança, total confiança, que não nutro sequer pelo meu pai. Meu falecido marido era um canalha, todos sabem! Então, quando meu pai me falou sobre você e sobre esse novo casamento arranjado, pensei que ia conhecer um tipo desprezível outra vez, ao lado do qual eu teria de passar o resto da vida, a quem teria de submeter minha vontade de novo. Mas então era você. Honrado, reto, digno, cheio de coragem. O homem mais nobre que conheci na corte. – Giordano sentiu o coração se desmanchar e instintivamente afrouxou a mão em torno da maçaneta. – E com Arrabal... – continuou Luigia – ... bem, com ele é outra coisa. Com ele eu posso sonhar. Ao lado dele sou livre como nunca fui na vida. Posso rir alto, brincar como uma criança sem modos, sem me preocupar com protocolos, boas maneiras, com o que é de bom-tom – ironizou. – Não sou obrigada a desempenhar nenhum dos papéis que destinaram a mim. Com ele, não há convenções. O certo é o que dita o coração! Ele me aceita e não pede nada em troca além do meu amor! E mais: estar ao lado dele foi uma escolha minha! A primeira e livre escolha que fiz na vida!
- Você não precisa me dizer mais nada – disse Giordano, com a voz enternecida.
- Mas por você... – Luigia continuou como se não o tivesse ouvido - ... por você sinto essa paixão que me apavora. Você sabe, eu sei que sabe. Por você tenho esse sentimento avassalador que me mostra a mulher que eu nem sequer sabia que existia em mim – e prosseguiu, após uma pausa, desistindo da escolha de palavras: - De alguma forma, ceder a tudo isso me dá a sensação de me perder e nunca mais me reencontrar. É como se, de tão forte, isso me dragasse até me fazer desaparecer. Não sei explicar muito bem.” – Pág. 322


O livro se passa em Nápoles, no século 18, e faz nossa imaginação viajar bastante por aquela época, principalmente devido a forte presença da trupe de teatro e a forma como eles viviam.






Achei a capa do livro muito linda; a diagramação, fonte e tamanho da letra, também; o livro traz uma narrativa poética, narrada em terceira pessoa, algo que no início eu estranhei um pouquinho, por estar mais acostumada com leituras mais práticas e diretas, mas depois, comecei gostar, mesmo achando que tinham mais erros do que o esperando.

Enfim... indico de verdade o livro! O clímax dele me surpreendeu muito mais do que muitos livros que eu gostei desde o início – e fiquei muito feliz por ter aprendido a gostar da leitura.

Ahhhh.... recentemente saiu a notícia de que Arrabal e a Noiva do Capitão será adaptado, pela TV Globo, para uma minissérie.



8 comentários:

Maraíse de Almeida disse...

Olha Paloma, você tá me convencendo a conhecer esse livro. Ao contrário de você ao ver a capa e título, pensei que ele não fosse uma bom livro e nem me empolguei em saber mais sobre ele. Mas agora confesso que estou muito curiosa para saber com quem a mocinha terminou o livro...Será que foi com os dois!? Hahahaha
Sua resenha tá muito legal!!
Bjos

Lia Christo disse...

Oi Paloma, você é mesmo uma ótima resenhista... Eu não curti esta capa, e mesmo lendo a sinopse não me interessei em conhecer o livro. Não sei explicar, mas tem livros que são assim, não nos chamam a atenção. Depois de ler sua resenha, vou anotar a dica. Caso eu tenha a oportunidade farei a leitura para conferir.
Bjus
Lia Christo
www.docesletras.com.br

Paloma Casali disse...

Hahahhahaha Mara....mas eu n disse que eu achei q fosse um livro excelente pela capa....achei q teria mto amor, romance, drama...e talz
Acho q é um livro que, se vc tiver tempo e dinheiro, vale a pena ser lido sim.
como eu disse a Gabriela... tiveram momentos que gostei e momentos que desgostei dele...mas ele me serpreendeu pelo rumo que tomou e acabei gostando da leitura.

Beijos

Paloma Casali disse...

Liaaa linda!!!!
Esse livro é aquele tipo de livro que se vc tiver tempo deve ler. E lendo, vc vai gostar dele no geral, principalmente da finalização....mas não vai se arrepender por não ter lido antes.
No final da leitura eu gostei de ter lido...mas confesso que tiveram uns 2 momentos que eu quis abandonar, mas n conseguir, bem ou mal a leitura te prende.

Bjssss e sempre obrigada.

Elimar Machado disse...

Cara, você me convenceu a ler esse livro. Na época as pessoas tinham me dito que eu não gostaria, porque o livro vendia uma ideia mas era outra coisa, completamente diferente. Acho que esse é o tipo de livro que você tem que ler, mas em um ritmo mais lento, para não se arrepender. Acaba conquistando por outros motivos. Vou tirar da pilha do "não sei quando vou ler" para colocar na "Vou ler em breve".

Paloma Casali disse...

Hahahhahaha leia, por favor...preciso de outras opiniões tb!
basicamente o que te falaram sobre venderem uma ideia...foi o que eu disse sobre ter me surpreendido por ter tirado concluconclusões preciptadas.
acho uma leitura valida sim...qualquer leitura que passe uma lição de vida vale a pena.
beijosss, minha Elimurf

Biazinha disse...

Eu confesso que também fiquei cheia de preconceitos com esse livro,por causa do título e da capa,mas parece que estava errada,a história parece ser bem bonita,apesar das ressalvas que você enumerou na resenha,vou ter que dar uma chance ao livro e fiquei feliz em saber que será adaptada para a TV.

bjsss

Apaixonadas por Livros

Paloma Casali disse...

Hahahahahaha pois é, Bia...foi um livro que me surpreendeu.
tiveram momentos que eu amei ele e tiveram momentos que eu achei um chato....mas os momentos q eu gostei foram muito maiores.
acho q vale sim a leitura.
E é bem o estilo de estória que a globo gosta...acho q depois q vc ler, vai entender isso.
beijosss

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas