segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Resenha: Escândalos na Primavera - Lisa Kleypas - Editora Arqueiro

Resultado de imagem para capa do livro escandalo na primavera

Escândalos na Primavera
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Categoria: Romance de Época
ISBN: 9788580416565
224 Páginas
1ª Edição - 2017



Sinopse

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.

Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift. Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado?

Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos na primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.




Escândalos na Primavera é o quarto livro da série As quatro Estações do Amor e fez jus a todos os outros livros da série. A história se desenrola mais uma vez em Stony Cross Park, com muito bom humor, amizade e amor, mas com uma pitada de drama que deixou o livro sensacional.




Daisy Bowman representa muitas das leitoras de romance, pois sempre acabamos comparando os homens literários aos reais (o que é uma injustiça, pois estes sempre saem perdendo), e por isso acaba pensando que não achará a metade da sua laranja. Além, de que depois de uma discussão com o pai, ela se auto desvalorizou um pouco.


“- Daisy – disse Westcliff amavelmente. - A maioria das pessoas não se distingue por grandes feitos, mas por um número infinito de pequenas coisas. Sempre que você faz algo de bom ou faz alguém sorrir, isso dá sentido à sua vida. Nunca duvide de seu valor, minha cara. O mundo seria um lugar triste sem Daisy Bowman.” - P. 13

Ela se depara com um ultimato do pai sobre se casar, o que, lógico, a deixa indignada e deixa Lillian revoltada. Em falar em Lillian, ela grávida não é das melhores pessoa; os hormônios da gravidez mexeram com ela, o que a  deixava irritada e chata na maior parte do tempo (juntando ao fato de ela ser cabeça dura), mas eu a entendia, ela tendo que enfrentar tudo junto: gravidez, evento em sua propriedade, ver sua irmã dizer que não queria se casar com determinando homem, ver a possibilidade de ela ir morar distante, ver a irmã amadurecer... enfim, mas depois do parto ela ficou sensacional novamente.

"Daisy  não podia se importar menos com o conteúdo da despensa ou quanto de sabão encomendar para a lavagem diária de roupas. Interessa-se muito mais por romances, poesia e história. Tudo isso a levava a longos voos da imaginação durante os quais ela passava ela passava horas diante de uma janela sem ver o mundo real, vivendo aventuras exóticas, viajando em tapetes mágicos, navegando por oceanos distantes e procurando tesouros em ilhas tropicais." - P. 15


Matthew Swift é tudo o que não esperamos dele, lindo, charmoso, encantador, decidido, inteligente e muito paciente. E por que eu disse que não esperávamos isso dele?? As descrições de Lilian e Daisy sobre ele (tanto sobre sua personalidade, quanto sobre sua fisionomia) não são lá as melhores possíveis, mas ele chega quebrando todos os preconceitos e mostrando que as pessoas sempre merecem uma segunda chance, se não uma primeira - o que Westcliff faz de maneira magnífica, ele não se deixa contaminar pelas opiniões da esposa e da cunhada.

É apaixonante ver como Matthew vai conquistando Daisy, conseguindo desconstruir toda a imagem que ela tem dele e vai ganhando sua confiança e seu coração com o tempo. E é lindo ver como ele se interessa por ela e pelas coisas que a dizem respeito - o que para outras pessoas é distração ou maluquice dela, para ele é coragem e determinação.

"- Geralmente há uma escada... para camas desta altura - disse Daisy, com os pés pendurados. Ela se agarrou na colcha. Esforçando-se para pôr um dos joelhos na beira do colchão, continuou: - Meu Deus... se alguém caísse daqui à noite... o tombo seria fatal.Ela sentiu as mãos de Matthew ao redor de sua cintura.- A cama não é alta - disse ele. Ele a ergueu como se ela fosse uma criança e a pôs no colchão. - Você é que é baixa.- Eu não sou baixa. Sou... desfavorecida verticalmente." - P. 141/142

Tenho que falar que achei o final corrido, a Lisa Kleypas poderia ter desenvolvido mais o final, o que deixaria, PARA MIM, o livro perfeito, mesmo tendo uns errinhos bobos que com uma revisão mais atenta não teriam passado.

O livro passa ensinamentos que temos que levar para a vida toda como: amizades verdadeiras, confiança, segunda chance, se permitir a amar e ter coragem.

Enfim, o livro é lindo, assim como toda a série. A capa está divina e a diagramação também, a Editora Arqueiro está, para variar um pouquinho, de parabéns!!!


 E não deixe de conferir o que eu achei dos livros anteriores:

Segredos de uma noite de Verão

Era uma vez no Outono




2 comentários:

Layane Almeida disse...

Papy, terminei o livro agora e estou simplesmente em um misto de sentimentos, feliz demais com a estória da Daisy e do Matthew e triste pela série ter chegado ao final.
Amor demais pelas Flores Secas ❤

Paloma Casali disse...

Layy... você ficou igual a mim ahahahah mto bom o livro! Já estou com saudade!

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas