quarta-feira, 25 de março de 2015

Resenha: Vermelho como o sangue - Salla Simukka - Editora Novo Conceito




Vermelho como o sangue
Autora: Salla Simukka
ISBN: 9788581635804
Editora: Novo Conceito
239 Páginas
Categoria: Policial, Suspense
1º Edição -


Sinopse

No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.

Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.

Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.

Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.


Parte inferior do formulário
Minhas impressões


Chamo-me Rafaela Galmon, estudante, 18 aninhos; a pouco mais de dois anos desenvolvi um fanatismo por leitura, antes só lia livros chatos do colégio, mas ganhei um romance de aniversário e depois dele não parei mais – costumo dizer que passei a viver de verdade depois desse dia – atualmente, sou leitora compulsiva e apaixonada.

Enfim... sobre o livro, ele tem como personagem principal Lumikki - ela vive sozinha, não é de ter amigos e nem de se enturmar com as pessoas, quer na medida do possível ficar afastada do mundo. Apesar do seu jeito, Lumikki tem bastante coragem, curiosidade e definitivamente adora se arriscar (bem contraditória essa personagem).




Procurando se isolar como sempre faz, ela acaba encontrando uma imensa quantidade de dinheiro, para piorar a situação esse dinheiro estava manchado de sangue, o que deixa a entender claramente que vem acompanhado de muito perigo. Mesmo sem querer ela acaba se envolvendo com a trama toda e se joga nesta loucura.

Lumikki se junta com mais três adolescente, e eles acabam tramando planos, se envolvendo com bandidos e da maneira mais surrealista, sempre saindo por cima. Como uma menina durona ela se coloca a frente de tudo. Pra completar a trama a autora faz umas misturas estranhas da vida real com contos de fadas, o que na minha opinião foi literalmente uma droga.


''Era uma vez uma noite que nunca chegava ao fim. Com sua escuridão, ela devorou o sol, estrangulando toda a luz espalhando suas mãos frias e negras sobre a terra. A noite colou os olhos da humanidade e os fechou para sempre, tornando os sonhos mais profundos e estranhos, fazendo tantos homens como mulheres se esquecerem de si mesmo.'' – Pág. 55


Salla Simukka deixou claro que curte uma linguagem poética e com certeza que adora abusar das metáforas. Mas esqueceram de avisar à ela que tudo em excesso faz mal. E esse excesso de palavras estranhas e metáforas deixaram-me com a sensação de que tinha usado drogas antes de ler (eu nunca usei droga na vida, mas os efeitos só podem ser assim). 

Literalmente a maneira poetisa de escrever não combinou com suspense, muito menos com o gênero policial. O fato de o livro ser narrado em terceira pessoa acabou me distanciando da história.  Seja lá o que você tentou fazer, Silla Simukka, não rolou! Senti falta do romance e do vínculo entre os personagens. Não vi construção de sentimentos e a trama não foi digna de me deixar curiosa e ansiosa. 

Para quem curte um livro diferente, com linguagem bem elaborada e misturas fantasiosas, Vermelho como o sangue até pode servir, e ser considerada pela pessoa uma boa leitura.

Não posso dizer que a história é de toda ruim, mas acabou sendo mal elaborada, só de imaginar que gerou uma trilogia... Meu Deus. Não posso falar sobre o resto dos livros, mas espero que sejam melhores que esse.

Foi ótimo estar aqui com vocês, e até a próxima!!!

Beijos




5 comentários:

Paloma Casali disse...

Amei sua resenha muito muito!!!
Você está de parabéns 👏👏👏
Que esta seja a primeira de muitas 💖💖
sobre o livro...jameis lerei hahahahhah
já não sou muito fã desse estilo, e depois q vc disse q o livro é maluco - esqueça hahahah desisti de vez!

Beijos

Bibi Santos disse...

Rafa,

Resenha maravilhosa... parabéns, arrasou, que seja a primeira de várias, você aproveite e divulgue seu livro, que anda bombando que estou sabendo...
Enquanto a esse livro, to fora... passo longe não vou lê nuncaaaaaaa, sem chance!

Crysellen Ventura disse...

ow Rafa!!
ameeiii,ficou ótimo
congratulations! :)
bjoo

Milena Barreto disse...

Adorei! Precisamos de mais resenhas assim verdadeiras pra não precisar perder tempo com livros ruins! Parabéns, você nasceu pra isso!

Elenice C. S. Rossi Rossi disse...

Parabéns!
Adorei a sua sinceridade e descrição do livro. Estamos precisando de mais pessoas com senso críticos e com coragem para fazê-lo.
E parabéns de novo ser tão 'novinha' e adorar a leitura. Infelizmente não é isso que percebemos hoje em dia. Costumo dizer que gosto pela leitura têm que vir do berço, os meus filhos feiram com o amor da leitura da barriga. Eu lia todas as noites para eles quando estava ainda na barriga.
Continue se dedicando assim, lendo escrevendo e fazendo críticas. Assim nasce mais uma grande profissional.
Beijos Lena Rossi

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas