sábado, 28 de fevereiro de 2015

Resenha: O Duque e Eu - Julia Quinn - Editora Arqueiro



O Duque e Eu
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Categoria: Romance de Época
ISBN: 978-85-8041-146-1
288 Páginas
1º Edição – 2013


Sinopse


Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.


Minhas Impressões


Como começar escrever essa resenha? Acho que pela expectativa que eu tinha para esse livro... Confesso que não esperava muito dele, apesar dos constantes elogios na mídia. Dos romances de época lançados pela Editora Arqueiro em abril este era o que menos havia me chamado a atenção pela capa e pela sinopse. Querem saber? Que bom que eu estava com essa expectativa! “O Duque e Eu” foi uma agradável surpresa! Surpreendi-me com a narrativa, com a história contada e com os personagens! Ouso dizer que é um romance de época perfeito!

“O Duque e Eu” escrito pela Julia Quin é o primeiro livro de uma série composta por oito romances de época intitulada “Os Bridgertons”. Cada livro foca em um dos filhos (as) de Violet Bridgerton.

Violet é uma viscondessa viúva e é a matriarca da Família Bridgerton. Mãe amorosa e cuidadosa de oito filhos: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth.

Anthony, o mais velho dos filhos homens, e Daphne, a mais velha das filhas mulheres, são os alvos preferidos da mãe quando o assunto é casamento. Violet quer casar os filhos mais velhos com bons partidos da sociedade de Londres e se empenha muito nesta missão.

Daphne quer sim se casar e formar uma família, mas ela sonha com um homem que se encaixe um pouco nos seus padrões para marido, e não qualquer homem velho e desengonçado que lhe fizer a corte. Porém, os bons partidos de Londres costumam ver Daphne mais como amiga do que como uma forte candidata a se tornar uma esposa. Ela é uma garota espirituosa, alegre, carinhosa e possui um bom relacionamento com a mãe, irmãos e irmãs. A relação entre os integrantes da família Bridgerton é encantadora, sempre baseada no amor, no carinho e no respeito.

Simon Basset, o Duque de Hastings, retorna para Londres após a morte de seu pai. Ele estava afastado por vontade própria por conta de um relacionamento com o pai cheio de conflitos e amargura. O pai de Simon sempre sonhou em ter um filho para herdar seu título, suas propriedades e seu legado, porém quando descobre que seu único filho é portador de uma deficiência faz pouco caso da criança, o maltrata e diz para a sociedade que o filho morreu.

A vida sempre dá muitas voltas. E Simon sempre se esforçou para superar a sua deficiência e ser alvo o mínimo que fosse do orgulho de seu pai. E assim Simon acaba herdando todo legado de seu falecido pai se tornando o novo Duque de Hastings.

Simon é um homem bonito, charmoso, inteligente, experiente e um pouco devasso. Alvo constante das mães que querem casar suas filhas na sociedade londrina. Por conta de seu passado com o pai e por nunca ter conhecido o amor em família o Duque de Hastings decide que nunca irá se casar e que muito menos terá um herdeiro. Essa seria a sua vingança maior para com o falecido pai.

Anthony e Simon estudaram juntos e sempre foram grandes amigos e companheiros de farra. É assim que Simon e Daphne acabam se conhecendo e se tornando amigos também. Claro que Simon se sente atraído fortemente por Daphne desde o princípio, mas o fato de ele ser um solteiro convicto e ela ser a irmã de seu melhor amigo são grandes obstáculos.

Simon quer se livrar das mães casamenteiras e Daphne quer atrair pretendentes que estejam dentro do que ela espera para marido. Simon e Daphne fazem um acordo para que ambos se beneficiassem e alcançassem seus objetivos: ele irá cortejar ela, mas apenas de brincadeira.

Com a convivência o feitiço virou contra o feiticeiro. Simon e Daphne acabam caindo em tentação, um grande tumulto acontece na família Bridgerton e um casamento acaba sendo a única alternativa viável.

Simon e Daphne terão um longo caminho a percorrer para superarem juntos o passado e os vários medos e traumas. Mas nada tira o brilho da relação amorosa do casal. As cenas de amor são sempre românticas, doces e sensuais na medida certa. A evolução do relacionamento de Daphne e Simon empolga, diverte e encanta o leitor!




Um romance de época bem escrito, com narrativa leve, fluída, bem humorada e uma linguagem simples. A leitura não se torna cansativa em nenhum momento e as risadas do leitor são garantidas em várias cenas.

A autora nos apresentou toda família Bridgerton de maneira que nos tornamos íntimos de cada um dos filhos e filhas de Violet. Um pouco da personalidade de cada um foi apresentada ao leitor.

A época e os costumes foram bem descritos, ambientando a leitura de forma eficaz e fazendo o leitor visualizar com facilidade tudo e todos.

Merece destaque que cada capítulo começa com um anúncio da Lady Whistledown, colunista social de um jornal local. A verdadeira identidade dessa colunista não é conhecida e ela faz um apanhado geral da sociedade e eventos que acontecem. Seus comentários são sempre ácidos e maldosos, mas possui leitores fiéis e que se incomodam bastante com suas opiniões. Confesso que estou bastante curiosa para saber qual a verdadeira identidade de Lady Whistledown e não faço a mínima ideia de quem possa ser, mas tenho quase certeza que é algum dos personagens já apresentados na história.


“Dizer que os homens podem ser teimosos como mulas seria um insulto às mulas”.
Crônicas da sociedade de Lady Whistledown, 4 de junho de 1813



O final é um pouco previsível, mas acredito que não poderia ser diferente, senão se perderia muito do encanto e docilidade que são marcas registradas facilmente identificadas durante a narrativa. Recomendado para quem gosta de um bom romance de época com “Q” de Jane Austen, cheio de bom humor, romantismo e classe. E muito mais está por vir, afinal Violet Bridgerton ainda possui sete filhos para casar.

2 comentários:

Paloma Casali disse...

A resenha está ótima!
Eu amooo essa serie!!!
Todos os livros que já li são encantadores!
suuuuper indico também.
beijoss

Bibi Santos disse...

Parabéns Gabi... Belíssima resenha!!!

Postar um comentário

Compartilhe conosco suas ILUSÕES!

 
Copyright 2009 Ilusões Noturnas